Bando Mastodontes faz show de lançamento do álbum “Ciranda Celestial" neste sábado(21)

Um encontro de ritmos do Norte faz girar a Ciranda Celestial do Bando Mastodontes no show de lançamento do disco, que será neste sábado, 21, na Casa Samba, em Belém. Repleto de batuque, teatro, poesia e folia, a big band prepara uma performance para fazer o público ferver. Como convidados especiais, a manada recebe o Baile do Mestre Cupijó, que arrasta multidões ao som de siriá, mambo e banguê. Para somar ainda mais energia, a festa traz os sets dos DJs Luska, Jack Sainha, Nat Esquema e Bambata Brothers. Os ingressos estão à venda.

O show apresenta pela primeira vez, na íntegra, as dez canções do novo disco, “Ciranda Celestial” (Natura Musical), que reverencia uma Amazônia ancestral, preta e indígena, de ritos e cura. Marcadas por uma sonoridade guiada pelos tambores, as músicas trazem influências múltiplas.

“Nossas referências são Trio Manari, Matheus Aleluia, Baden Powell, Sérgio Sampaio, Baiana System, Nação Zumbi, e todo e qualquer lugar que trabalhe o tambor como protagonista das narrativas. Os tambores do Bando materializam o nosso elo de ligação. A gente gosta mesmo é de estar juntes para fazer gira com nosso batuque etéreo”, diz Luciano Lira, violonista, compositor e um dos vocalistas da trupe.



Fundado em 2015 a partir do encontro de atores, o grupo é um dos maiores destaques da música contemporânea do Norte. Diverso, o Bando reúne gente das artes cênicas, do audiovisual, da comunicação, do direito e da psicologia - artistas que têm a música como ponto de comunhão. O grupo é formado por Jimi Britto (guitarra), Ana Marceliano (percussão, voz e composição), Fernanda Noura (voz), Luciano Lira (violão, voz e composição), Caio Azevedo (bateria), Katarina Chaves (percussão), Bruna Cruz (percussão, voz e composição), Armando Mendonça Filho (voz, percussão, violino, violão e bandolim) e Rodolfo de Mendonça (baixo).

Orixás na pista de dança

"Vamos colocar os orixás na pista", anuncia Luciano Lira. Com sua sonoridade de batuque, progressiva e é transcendental, “Ciranda Celestial” traz as participações que aliam arte, festa e fé. Participam do disco a escritora Paloma Amorim; Zélia Amador, um dos mais relevantes nomes do ativismo preto na América Latina; Trio Manari, Banda Nação Ogan; Mansu Nangetu, terreiro de candomblé angola que é referência regional e nacional na cultura religiosa afro-amazônica; Edimar Silva, contramestre de capoeira angola, nas percussões.

“A gente percebeu que na pandemia, com mais de 600 mil mortos, era um momento muito importante para convocar a energia dos orixás pra dentro dessa ciranda. E nossa Amazônia transcendental está intimamente ligada à ideia de que existe força na nossa pajelança. Cantamos para nos curar, reverenciamos a espiritualidade existente na ancestralidade de nosso canto”, explica Lira.

O disco e o show “Ciranda Celestial” têm patrocínio do edital Natura Musical, por meio da lei estadual de incentivo à cultura do Pará (Semear). A festa de lançamento é uma realização da Meachuta Produções.

Baile na Ciranda

A festa de lançamento do projeto chama também para a pista o Baile do Mestre Cupijó. O grupo surgiu em 2019, quando a sobrinha do mestre, a cineasta paraense Jorane Castro, lançou um documentário sobre o trabalho artístico do tio. O músico modernizou o siriá, ao acelerar a batida e incluir arranjos de sopro, agregando, ainda, a influência caribenha, como o merengue. A inventividade de Cupijó tornou o ritmo paraense conhecido pelo país.

A homenagem póstuma ao mestre, morto em 2012, deu muito certo e caiu nas graças do público, que costuma lotar as apresentações do Baile. O grupo é composto por onze músicos e além de revisitar a obra de Cupijó, eles apresentam outros ritmos em seu repertório, como o mambo e banguê.

“O ritmo do siriá é muito contagiante. Toda apresentação é uma grande festa e com muita alegria. Será uma noite de celebração à cultura popular”, diz JP Cavalcante, membro do grupo.


SOBRE O BANDO MASTODONTES

O Bando Mastodontes conta com dez artistas de Belém, que têm em comum o interesse pela investigação da música numa dimensão mais híbrida, social e política, sempre flertando com as artes cênicas que é de onde vem parte do seu repertório, já que as origens do Bando Mastodontes estão ligadas ao movimento teatral de Belém.

De forma independente, o Bando Mastodontes já produziu um EP Visual e Ao Vivo gravado em parceria com a Kasa Coentro e com a produção da Equipe Reduzida; o EP Aperte o Play, com quatro faixas assinadas pelo produtor musical Dan Bordallo, gravado e mixado no Estúdio Floresta Sonora; e um álbum Ao Vivo, gravado no Estúdio Showlivre em São Paulo e mixado e masterizado pelo Estúdio Casa (em Belém), do multi-instrumentista e produtor musical Armando de Mendonça.

O novo projeto do Bando Mastodontes foi selecionado pelo edital Natura Musical, por meio da lei estadual de incentivo à cultura do Pará (Semear), ao lado de nomes como Nic Dias, Sumano MC, Festival MANA e Mestras do Pará, por exemplo. No Estado, a plataforma já ofereceu recursos para mais de 69 projetos até 2020, como Manoel Cordeiro, Dona Onete, Pinduca, Felipe Cordeiro e Thaís Badú.


SOBRE NATURA MUSICAL

Natura Musical é a plataforma de cultura da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu cerca de R$174,5 milhões no patrocínio de mais de 518 projetos - entre trabalhos de grandes nomes da música brasileira, lançamento e consolidação de novos artistas e projetos de fomento às cenas e impacto social positivo. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do País e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais. Em 2020, o edital do Natura Musical selecionou 43 projetos em todo o Brasil e promoveu mais de 300 produtos e experiências musicais, entre lançamentos de álbuns, clipes, festivais digitais, oficinas e conferências. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente da música brasileira, com uma programação contínua de shows, performances, bate-papos e conteúdos exclusivos.


Serviço:

Bando Mastodontes faz o show “Ciranda Celestial”, neste sábado, 21, a partir de 20h, na Casa Samba, localizada na avenida Tamandaré, esquina com a rua Doutor Assis, na Cidade Velha. Ingressos à venda online: https://www.ingresse.com/manada

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square