top of page

Casa da Cultura realiza evento sobre produção audiovisual amazônica

Ciclo formativo, rodas de conversa, presença de realizadores audiovisuais e exibição de filmes feitos na Amazônia estão entre as atividades que integram o evento “A Casa da Cultura e o Audiovisual na Amazônia” que será realizado de 19 a 24 de fevereiro, em Canaã dos Carajás. O objetivo é mobilizar a comunidade e registrar o olhar dos que vivem a região por meio da linguagem audiovisual.


O encontro formativo será conduzido por dois realizadores atuantes no sudeste paraense: Rayda Lima e Kokinire Haraxare. Rayda se destaca com produções autorais envolvendo a relação do espaço amazônico protagonizado por mulheres e minorias. A realizadora foi contemplada com o Prêmio de Incentivo à Arte e à Cultura pela Fundação Cultural do Pará, tendo produzido o documentário “Caminhos e Memórias do Povo Aikewara”.

 



Já Kokinire Haraxare dirigiu o documentário “No Gramado e na Aldeia Gavião”, que conta a trajetória do Gavião Kyikatêjê Futebol Clube na primeira divisão do campeonato paraense de futebol e vem, ao longo dos anos, desenvolvendo projetos em diferentes linguagens audiovisuais. Além do ciclo formativo, o evento exibirá produções audiovisuais realizadas no território amazônico com destaque para filmes elaborados através de oficinas realizadas em Canaã dos Carajás, Serra Pelada e Ourilândia do Norte. 

 

No encerramento da programação será exibido o produto da formação desenvolvida na Casa da Cultura e haverá, ainda, a apresentação do filme “Amazonas, o Maior Rio do Mundo”, recuperado pela Cinemateca, produzido e dirigido pelo diretor Silvino Santos, em 1918.

 



Toda a programação é gratuita e, para participar, os interessados podem ligar ou enviar mensagem para o número (94) 99220-3451. A Casa da Cultura fica localizada na Rua Esmeralda, 141, bairro Nova Canaã II.

 

Confira os dias e horários de cada programação e participe!

Ciclo Formativo

De 19 a 23/2 – Encontro formativo, das 14h às 18h

Dia 24/2 – Encontro formativo, das 9h às 12h

 

Mostra e Roda de Conversa sobre a Produção Audiovisual Amazônica

De 23 a 24/2

Horário: das 19h30 às 22h (exibição de filmes e roda de conversa)

 

Programação de 23 de fevereiro - 1º dia da Mostra


19h40: INHÕBIKWA – 12min10s/ Ficção

Realização: Anna Vitória; Beprotire Kayapo; Edu Costa; Isabel Cristiny; Joicy Alves; Lara Beatriz; Pãnhtuk Kayapo; Thaviny Raniely; Tavala Ferreira - Oficina de Cinema Cultura na Praça, julho de 2023 – Ourilândia do Norte. 



Sinopse: Conta a história da amizade entre uma jovem Kaiapó e outra não indígena que sofre discriminação pela sua aparência. Um encontro improvável mostra que as diferenças culturais não impedem o surgimento de uma grande amizade. Produção realizada em Ourilândia do Pará. 


19h53: "MANÁ CANAÃ: Terra Feita Por Elas" 12min/documentário

Realização: Mulheres participantes da “Oficina de Audiovisual para ELAS” que aconteceu em Canaã dos Carajás, em dezembro de 2022.

 

Sinopse: Um curta-metragem sobre a experiência de ser mulher em Canaã dos Carajás. Todo o trabalho de filmagem, produção, captação de áudio, escrita do roteiro e edição foi feito pelas mulheres de Canaã que participaram da oficina.


20h06: No Gramado e na Aldeia Gavião - 13min21s/documentário

Realização: Kokinire Haraxare

Sinopse: Documentário selecionado no Edital Culturas Indígenas, da Lei Aldir Blanc. Com direção de Kokinire Haraxare, o audiovisual acompanha um pouco da participação do Gavião Kyikatêjê Futebol Clube no campeonato paraense da primeira divisão ao lado das reflexões do cacique Zeca Gavião, primeiro técnico indígena do Brasil.

 

20h26: Caminhos e Memórias do Povo Aikewara – 30min/documentário

Realização: Rayda Lima

Sinopse: A produção audiovisual é uma tentativa de resgatar, a partir da ótica indígena, a percepção sobre o conflito conhecido historicamente como “Guerrilha do Araguaia”, de guardar para posteridade as vivências dos mais antigos e de desfazer a narrativa distorcida da perspectiva do homem branco sobre esse episódio que mudou para sempre a vida dos Aikewara.

 

21h15: Roda de Conversa e encerramento do 1º dia da Mostra “A Casa da Cultura e o Audiovisual produzido na Amazônia”

 

Programação de 24 de fevereiro - 2º dia da Mostra


19h40: Ser ou Não Ser? - 14min26s/ Ficção

Realização: Hian Kaio/ Oficina de cinema Cultura na Praça, julho de 2019 – Canaã dos Carajás.   

Sinopse: A arte como ferramenta de inclusão e libertação. Jovens moradores de Canaã dos Carajás compartilham suas histórias e a importância das diferentes linguagens artísticas em suas vidas.

19h55: Arte Rupestre de Monte Alegre – 6min/ documentário

Realização: Adriano Espínola Filho

Sinopse: O minidocumentário apresenta o Parque Estadual de Monte Alegre, área de aproximadamente 3,7 mil hectares que abriga além das riquezas naturais, os vestígios da ocupação humana na Amazônia com mais de 15 sítios arqueológicos catalogados com suas pinturas rupestres que se destacam na paisagem. 



20h02: “O Diário de Hannah” – 13min/Ficção.

Realização: Agila Silva; Bianca Barros; Briccyo Oliveira; Carlos Henryque; Daniel Reis; Gabriel Vieira; Kawany Castro; Maria Rita Ozorio; Naldo Silva; Nickison Lorran; Vitória Silva.

Sinopse: O perigo mora dentro da casa de Hannah e suas palavras parecem não ser ouvidas. Curta-metragem realizado na oficina de cinema Cultura na Praça. Serra Pelada (Pará, 2023).


20h15: Apresentação da obra audiovisual “Amazonas, o Maior Rio do Mundo” por um representante da Cinemateca Brasileira.

“Amazonas, o Maior Rio do Mundo” – 54 minutos/documentário.

Realização: Silvino Santos

Sinopse: Filmada entre 1918 e 1020, a obra foi rodada no Pará, Amazonas e na região do oriente Peruano e mostra uma viagem fluvial pelo rio Amazonas, focalizando localidades como Belém, campos do Marajó, Santarém, Itacoatiara, Manaus e rio Putumayo.

O registro audiovisual havia sido dado como perdido desde a década de 30 do século passado. O filme foi encontrado recentemente, na Cinemateca de Praga, na República Tcheca. “Amazonas o Maior Rio do Mundo”, registra festas populares como o Círio de Nazaré, plantações, belezas naturais, a vida da cidade e dos povos indígenas que habitavam a região.


21h20: Exibição do Produto Audiovisual resultado do ciclo formativo realizado no evento “A Casa da Cultura e o Audiovisual produzido na Amazônia”. 

21h30: Roda de conversa com os participantes do ciclo formativo realizado no evento “A Casa da Cultura e o Audiovisual produzido na Amazônia, realizadores e público.


Serviço

O quê? Evento “A Casa da Cultura e o Audiovisual na Amazônia”

Quando? De 19 a 24 de fevereiro.  Entrada gratuita!

Onde? Casa da Cultura de Canaã dos Carajás, localizada na Rua Esmeralda, nº 141, bairro Nova Canaã II

Quem pode participar? Toda a comunidade

Ficou com dúvida? Pode ligar para o número (94) 99220-3451

 

Sobre a Casa da Cultura de Canaã dos Carajás

Criado e mantido pela Vale, o espaço integra o Instituto Cultural Vale. A Casa da Cultura desempenha papel de guarda e registro do acervo histórico do município, e de difusor cultural na região. Nesse sentido, promove exposições, exibições de filmes, clubes de leitura, contação de histórias, espetáculos de música, dança, circo e teatro, além de manter uma escola de música, dança e teatro, onde crianças e jovens têm a oportunidade de participar, de forma gratuita, de aulas de ballet clássico, teatro, canto, violão, flauta doce, musicalização e percussão tradicional paraense.

 

Sobre o Instituto Cultural Vale

O Instituto Cultural Vale parte do princípio de que viver a cultura possibilita às pessoas ampliarem sua visão de mundo e criarem perspectivas de futuro. Tem um importante papel na transformação social e busca democratizar o acesso, fomentar a arte, a cultura, o conhecimento e a difusão de diversas expressões artísticas do nosso país, ao mesmo tempo em que contribui para o fortalecimento da economia criativa. Nos anos de 2020-2022, o Instituto Cultural Vale patrocinou mais de 600 projetos em mais de 24 estados e no Distrito Federal. Dentre eles, uma rede de espaços culturais próprios, patrocinados via Lei Federal de Incentivo à Cultura, com visitação gratuita, identidade e vocação únicas: Memorial Minas Gerais Vale (MG), Museu Vale (ES), Centro Cultural Vale Maranhão (MA) e Casa da Cultura de Canaã dos Carajás (PA). Onde tem Cultura, a Vale está. Visite o site do Instituto Cultural Vale: institutoculturalvale.org

Comments


bottom of page