top of page

Circuito Mangueirosa de Carnaval de rua de Belém realiza 4ª edição

O Circuito Mangueirosa confirmou a quarta edição do evento que leva milhares de foliões para pular Carnaval pelas ruas de Belém ao som da música amazônica durante essa grande festa popular brasileira. A programação gratuita vai reunir dezenas de artistas amazônicos nos dias 10, 11, 12, 13 e 17 de fevereiro, com palco no Complexo Ver-o-Rio e conta com o patrocínio da Equatorial Pará via Lei Semear (Fundação Cultural do Pará/Governo do Pará), apoio cultural da Secretaria de Cultura do Pará/ Secretaria de Turismo do Pará/Cultura Rede de Comunicação/Governo do Pará, co-realização Fumbel/Prefeitura de Belém e apoio institucional do Sebrae Pa. Este ano, o Circuito intensifica seu compromisso com o meio ambiente e ampliará suas ações de sustentabilidade.

 


Criado para resgatar o Carnaval de rua de Belém e para ser uma opção cultural para quem fica na capital paraense durante o feriado de Carnaval, uma vez que a tradição paraense é viajar para municípios do interior do Estado, o Circuito Mangueirosa é fruto da união de seis produtoras culturais que atuam no estado (Bloco Filhos de Glande, Lambada Produções, Mea Chuta, Se Rasgum, Tchau, Tchau, Amor e Toró).

 

Um dos compromissos do evento é dar palco para a música amazônica com a apresentação de artistas da região, estimulando o turismo e movimentando a economia na capital neste período. Mais de 50 artistas participam do Circuito durante os 5 dias de eventos e temos mais de 200 empregos diretos gerados. “A gente entende que o Mangueirosa é importante pra Belém por muitas razões. Ajuda a preservar a tradição do carnaval de rua, movimenta a cadeia cultural e artística local, além de gerar empregos diretos e indiretos para muita gente. É um excelente produto turístico que a longo prazo ainda vai render muitos benefícios para cidade”, explica Mariana Farnesi, diretora do Circuito.

 

Sustentabilidade - Mas o compromisso com a Amazônia não é apenas cultural, é também ecológico. Desde a primeira edição, o Mangueirosa sempre pensou o Circuito de modo a minimizar os impactos que um evento de grande porte causa na cidade. A Aral (Associação dos Recicladores das Águas Lindas), por exemplo, trabalha em parceria com o Circuito há algumas edições recolhendo as latas de alumínio e encaminhando para a reciclagem. Além disso, o grupo Composta Belém recolherá o lixo durante a programação, para garantir o controle dos resíduos e também instalará diversas bituqueiras de cigarro pelo Ver-o Rio. Tanto a Aral quanto a Composta Belém entregam um relatório de sustentabilidade do evento, com o aval de um engenheiro ambiental, para que possamos entender o resultado de nossas ações.

 

Além disso, serão dispostos banheiros químicos e lixeiras, tanto no Ver-o-Rio quanto no caminho do cortejo.

 

De acordo com Michelle Miranda, analista de Responsabilidade Social da Equatorial Pará, além de ser um grande evento cultural, o compromisso com a sustentabilidade também é um dos principais motivos que fazem a distribuidora de energia acreditar no sucesso do Circuito Mangueirosa.

 

“A Equatorial Pará preza pela sustentabilidade e o cuidado com o meio ambiente. Quando temos um evento desse tamanho que se preocupa com essas questões, isso também nos motiva a apoiar e estar junto para a realização do projeto. A empresa é a maior patrocinadora de cultura do estado e não poderia ficar de fora desse momento que vai trazer muita energia, alegria e responsabilidade social para os foliões em Belém”, pontua Michelle.

 

Blocos - Pelo Circuito, desfilam cinco blocos, cada um com características específicas. Quem abre a programação é o bloco Lambateria, que desfila no dia 10 de fevereiro, promovendo um dia dedicado à música latino-amazônica dançante. No dia 11, domingo, é a vez do Bloco Toma Tua Pisa assumir a programação, misturando artistas de diferentes gerações da música amazônica. Na segunda-feira, dia 12, é a vez do Pop Amazônico desfilar com o Bloco Lucha Libre, formado pela união das produtoras Mea Chuta e Se Rasgum; na Terça-feira Gorda, dia 13, quem desfila é o tradicional Bloco Filhos de Glande, que tem o Samba como carro-chefe.

 

Para fechar o Circuito, no sábado seguinte, 17 de fevereiro, o Bloco 'Tchau, Tchau, Amor', que estreou ano passado, promove a ressaca do Carnaval, relembrando um pouco do que rolou nos dias de Carnaval. Diferentemente dos outros dias, quando a programação gratuita ocorre em palco montado no Ver-o-Rio, no dia 17, os shows ocorrem em trio elétrico estacionado no Complexo e será o único dia com cortejo até a Casa Mangueirosa.

 

Serviço

| O quê: Circuito Mangueirosa de Carnaval 2024

| Quando: 10, 11, 12, 13 e 17 de fevereiro de 2024

|Onde: Complexo Ver-o-Rio / Casa Mangueirosa (Ingressos antecipados: https://www.ingresse.com/mangueirosa2024)

| O que toca: música paraense e hits dos novos e antigos carnavais

Comments


bottom of page