Festival de cultura popular Pisada de Fulô reúne mestres do boi bumbá e carimbó em Belém

Será realizado no próximo sábado (10/09), a partir das 17h,na Praça Dalcídio Jurandir, o show de encerramento do Festival de Cultura Popular Pisada de Fulô. O intercâmbio cultural é a marca desse projeto que está na sua 6° edição. Vão passar pelo palco os grupos Vozes de Fulô,carimbó do Curuperé, Boi Travesso e o tambor de Crioula Filhos e Amigos de Cururupú. O evento iniciou com bate-papos virtuais com os mestres que estão participando da programação, o resultado dessa troca cultural que estão gravados nas lives das redes sociais do Vozes de Fûlo.


O Festival de Cultura Popular Pisada de Fulô tem o apoio do edital Prêmio Preamar de Cultura e Arte 2022, através da Secretaria de Cultura do Estado do Pará (Secult), e tem como proponente a banda Vozes de Fûlo. Criada em 2014, a pesquisa do grupo é voltada para os ritmos diversos da cultura popular de dentro e fora da região, como o Coco, Maracatu,Carimbó, Samba de Cacete, Tambor de Crioula, Capoeira e Samba de Roda. Vozes de Fulô iniciou seu trabalho musical de forma orgânica pelas ruas, firmou diálogos com brincantes afrocentrados dos quilombos periféricos de Belém.



“Então, a Pisada de Fulô é o que? Somos nós enquanto povo da nova geração trazendo os mais velhos para esse intercâmbio cultural pro nosso público que, querendo ou não, é uma juventude. É isso, é fazer esse intercâmbio entre o nosso povo preto. Nós enquanto Quilombo Urbano”, explica a produtora do projeto e cantora do grupo Vozes de Fulô, Maiara Almeida.


Os convidados que deram início à programação, através do bate papo virtual, são referências em suas atuações. Ronaldo Curuperé atua há 30 anos na cultura popular paraense. É compositor, tocador e artesão. Mestre Moita realiza o Tambor de Crioula Filhos e Amigos de Cururupu, vindo do Maranhão ainda na juventude,se dedica há mais de 40 anos ao tambor de crioula.



O segundo bate papo, transmitido por live, foi protagonizado pela artista Maiara Almeida, e pelo mestre João. Na noite paraense, Maiara apresenta um trabalho autoral e como intérprete, onde também mostra suas habilidades como pandeirista. Além disso tudo, Maiara ainda é artesã e constrói jóias com pedras e metais. O Mestre João tem 42 anos de contribuição para a cultura popular. É ele o responsável pelo boi Travesso, do bairro do Guamá.


Serviço:

Entrevistas/ Lives - Dia 29, Mestre Curuperé e Mestre João/20h

Dia 31, Mestre Moita e Maiara/20h

Local: Instagram @vozesdefulo


Tambor - 10/09 - Boi Travesso, Vozes de fulô, Carimbó Curupere , Tambor de Crioula Amigos do Cururupú

Local: Praça Dalcídio Jurandir

Gratuito


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square