top of page

Festival Negritudes Globo será transmitido pelo Futura via Globoplay

No dia 3 de outubro, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, o Festival Negritudes Globo, promovido pela Globo, vai reunir importantes nomes com o objetivo de discutir as narrativas negras no audiovisual. A entrada será gratuita, mediante inscrição no site do evento. Quem não tiver a chance de acompanhar o evento presencialmente, terá a oportunidade de acompanhar os conteúdos da Sala Principal do Festival ao vivo, por meio da transmissão do Canal Futura, que será exibida via Globoplay. Nomes como Kenya Sade, Larissa Luz, Conceição Evaristo, Taís Araujo, Lázaro Ramos, Luana Sá, Alfred Enoch, entre outros, já estão confirmados no evento.

A presença do Futura no Festival Negritudes Globo está alinhada à defesa e ao fomento de pautas consideradas prioritárias pelo Canal, que contextualizam e trazem questões, discussões e cenários relacionados à educação antirracista. Ela se confirma na realização de projetos como A Cor da Cultura para valorização e ensino do patrimônio histórico/cultural afro-brasileiro e indígena na Educação Básica na criação da Faixa A Cor da Cultura que reúne programas focados nas culturas negra e indígena no horário nobre das terças, a partir das 21h no Futura; na produção do podcast Reconhecer e Reparar, e na mais recente campanha publicitária do Futura, cuja ativação da agenda Educação Antirracista terá início em novembro, entre outras ações que o Canal promove.


Nessa mesma linha, o Festival vai tratar de assuntos como processo criativo, presença negra nas telas, ancestralidade e afrofuturismo, música preta e desenvolvimento de talentos. “O Festival Negritudes Globo e o Canal Futura têm em comum o objetivo de celebrar, cada vez mais, o papel vital dos negros e indígenas na nossa formação como povo. É preciso trazer à tona a importância de se oferecer conteúdo educacional de qualidade e que se traduza na valorização da educação antirracista. Nossa marca e nossa programação dialogam com essa agenda permanentemente”, reforça Acácio Jacinto, diretor adjunto do Futura.

“O Festival Negritudes é uma grande conversa. Um dia de encontro e celebração entre os profissionais negros do audiovisual mais com o objetivo de ampliar esse diálogo e trazer aliados. A gente quer contar nossas histórias, resgatando a cultura afro-brasileira porque isso torna o Brasil mais plural, inovador e com perspectivas diferentes para inspirar crianças e jovens de todo país”, disse Ronald Pessanha, especialista de Valor Social da Globo.

Das 10h às 19h, o Futura vai transmitir as atrações abaixo:

10h – Abertura do festival

10h20 às 11h10 – Conexão com a criação (África-Brasil): Conteúdo que vem da Ancestralidade Reconhecemos as raízes africanas, celebramos origens e heranças. De que forma a travessia do Atlântico e a diáspora determinam como as histórias negras são contadas? Nessa conversa, vamos falar sobre a conexão mantida com a África, a tradição oral como forma de sobrevivência, sobre literatura e como a combinação de todas as artes traz uma nova perspectiva para o audiovisual brasileiro.

Mediação: Maju Coutinho, jornalista e apresentadora Convidados: Conceição Evaristo, escritora, mestre e doutora em Literatura Licínio Januário, ator angolano, cineasta e cofundador da Wolo TV Taís Araujo, atriz

14h às 14h50 – Onde nascem as histórias? O processo criativo As narrativas negras resistem e (re)existem, transformando esse mundo e criando outros. Vamos falar do processo criativo e de como a indústria do audiovisual está contribuindo para que as histórias ganhem vida.

Mediação: Rita Batista, jornalista e apresentadora Convidados: Juh Almeida, diretora Lázaro Ramos, ator e diretor Paulo Lins, escritor e roteirista Paulo Silvestrini, diretor

Fala de encerramento:

Prof. Ivanir dos Santos, babalaô, escritor e pós-doutor em História Comparada

16h às 17h – A pele negra e seu reflexo na tela Debate sobre a estética negra nas telas, falando de figurino, caracterização e composição de personagens que ajudam a quebrar estereótipos e reinventar uma beleza ancestral.

Mediação: Valéria Almeida, jornalista e apresentadora Convidados: Luana de Sá, figurinista Mayara Aguiar, diretora Samuel de Assis, ator Daniele Mattos, cofundadora da Indique Uma Preta

Das 18h10 às 19h – Entrevista especial Samantha Almeida, diretora de Diversidade e Inovação em Conteúdo, entrevista Alfred Enoch, ator inglês (“Medida Provisória”).

Sobre o Futura

O Futura é uma experiência pioneira de comunicação para transformação social que, desde 1997, opera a partir de um modelo de produção audiovisual educativa, participativa e inclusiva. É uma realização da Fundação Roberto Marinho e resultado da aliança estratégica entre organizações da iniciativa privada unidas pelo compromisso de investir socialmente, líderes em seus segmentos: SESI - DN / SENAI - DN, FIESP / SESI - SP / SENAI - SP, Fundação Bradesco, Itaú Social, Globo e Sebrae.

O Futura está presente nas principais operadoras de TV por assinatura no Brasil:

· Globoplay – sinal aberto e gratuito

· Net e Claro TV – 534 HD e 34

· Sky – 434 HD e 34

· Vivo – 68HD e 24 fibra ótica

· Oi TV – 35

O canal está disponível também em uma rede de TVs universitárias parceiras com sinal de TV aberta e parabólicas digitais. Via Globoplay, é possível acompanhar o sinal ao vivo da programação, que conta com um catálogo audiovisual com mais de 185 títulos e 4.500 vídeos.

Yorumlar


bottom of page