top of page

Filme ‘Sem Encruzilhadas’, produzido por coletiva Paraense, ganha destaque nacional

Abordar o universo dos saberes ancestrais e o resgate de memórias e tradições afro-brasileiras. Essa é a proposta do curta-documentário “Sem Encruzilhadas”, realizado pela Negritar Filmes e Produções. A obra fará parte da websérie “Ancestrais do Futuro”, uma iniciativa promovida pela Fundação Tide Setubal, com o lançamento nesta tarde de 8 de novembro na plataforma do YouTube, pelo Canal “Enfrente”.

A celebração de estreia oficial acontece nesta tarde, 8/11, às 15h, no Itaú Cultural, em São Paulo. O evento contará com a participação das coletivas periféricas de diferentes regiões do país responsáveis pelas produções culturais. A série está estruturada em cinco episódios de oito minutos cada e evidencia o papel central da memória e da ancestralidade em diferentes territórios do Brasil. Cabe destacar que cada episódio foi produzido por cinco coletivas diferentes.


As coletivas selecionadas foram chamadas mediante a cartas-convite e aprovadas por meio de processo de avaliação realizado pelo corpo técnico da Fundação Tide Setubal e por jurados convidados.

Sinopse do curta-metragem:

Bartô é um homem preto, dançarino que está ensaiando para o seu novo espetáculo. Durante o ensaio ele enxerga Exu lhe olhando e recebe uma mensagem. Ao ligar para sua irmã Mariana, descobre que a memória de seu avô está se perdendo com o Alzheimer, e ao mesmo tempo, o terreiro de sua família é o último do quilombo devido ao avanço das igrejas neopentecostais.

Ao retornar para seu território, Bartô percebe que, junto com sua irmã, terão que lutar pela memória ancestral de seu povo, e a partir das palavras de seu avô descobre pelo sagrado que sua missão é usar a dança como instrumento de resgate desse legado. Exu é a energia que está presente em tudo que existe. A ausência de Exu é, portanto, a negação da vida. Sem memória um povo deixa de existir e ficamos sem encruzilhada.

Comentários


bottom of page