Funarte ce­lebra os 40 anos da Escola Nacional de Circo (ENC), em sua sede, no Rio ​​​​​​​

A Fundação Nacional de Artes – Funarte comemora, nesta sexta-feira, dia 13 de maio, às 14h, os 40 anos da Escola Nacional de Circo (ENC), no Rio de Janeiro. Inaugurada em 1982, a Escola foi criada pelo circense Luiz Olimecha e pelo produtor cultural Orlando Miranda, e se tornou referência para toda a América Latina no campo da formação em circo. A cerimônia vai contar com a participação de autoridades da área da educação e da cultura. Lançamento de edital de reconhecimento do circo como patrimônio imaterial; anúncio de um moderno projeto arquitetônico, criado por Marcos Flaksman; e assinatura do acordo de cooperação com o IFRJ, estão na programação.


Durante a cerimônia, a Funarte vai anunciar o lançamento do Edital Bolsa Funarte de Pesquisa para Reconhecimento do Circo como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. O programa pretende contemplar 10 (dez) projetos de pesquisa de campo baseada nas famílias circenses. A iniciativa visa contribuir para identificar, valorizar e dar visibilidade à produção artística e cultural circense, além de ampliar a sua produção, difusão e sustentabilidade econômica e social.



Poderão se inscrever pessoas físicas, residentes no território nacional e que tenham atuação comprovada nas áreas relacionadas ao circo e as artes cênicas. Cada proposta contemplada receberá a quantia de R$ 20 mil reais e o valor total investido no programa será de R$ 260 mil, incluindo as demais despesas do edital. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas do dia 16 de maio até 18 de julho de 2022, no portal da Funarte.


Outra novidade, é o lançamento do projeto arquitetônico de um moderno centro de formação da Escola Nacional de Circo que engloba instalações para aulas e apresentações. A proposta é assinada pelo renomado diretor de arte, figurinista, escritor, ator, arquiteto e cenógrafo, Marcos Flaksman. Segundo a equipe da ENC, a nova estrutura metálica, com seu design inspirado na lona, preserva o tradicional símbolo da cultura circense e inova com sua estética contemporânea, sustentada pelas mais avançadas tecnologias. “O projeto apresenta uma estrutura pensada para favorecer a execução das práticas próprias da atividade circense, possibilitando a ampliação dos serviços oferecidos. Funde-se ao solo da Praça da Bandeira, uma Escola moderna, funcional e permanente”, ressalta.


Além dos anúncios, a Escola Nacional de Circo também vai celebrar a importante parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), por meio da formalização da continuidade do Curso Técnico em Arte Circense, oferecido pela entidade e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), desde 2015. A consolidação do calendário de aulas ou a adaptação da grade curricular ficam sob a responsabilidade do IFRJ. A Escola Nacional de Circo/Funarte deve acompanhar o calendário geral do Instituto e fornecer os meios para a realização da grade curricular. O novo edital nacional convidando interessados para participar da próxima turma será anunciado em breve e contará com um diferencial: cota para integrantes de famílias circenses.


No decorrer da comemoração pelos 40 anos da Escola Nacional de Circo, profissionais e professores formados pela instituição farão apresentações artísticas em diversas modalidades de circo.


Escola Nacional de Circo (ENC)


A Escola Nacional de Circo (ENC)foi fundada em 1982 e está localizada na Praça da Bandeira, Zona Norte do Rio de Janeiro. Seus criadores, o circense Luiz Olimecha e o produtor cultural Orlando Miranda, partiam do princípio de que a construção do conhecimento é dinâmica e se renova sempre. Assim, a ENC tem mantido diálogo com a produção pedagógica e artística presente no mundo circense – já que esta atividade artística também tem como característica marcante a intensa mutação, impulsionada pela evolução das áreas tecnológica, instrumental e gerencial.


A instituição é referência para toda a América Latina no campo da formação em circo e prepara artistas profissionais para atuarem em circos de lona e em diversos setores das artes e segmentos culturais, tanto no mercado nacional quanto no internacional. Também faz parte fundamental dessa proposta formar cidadãos, com a perspectiva de contribuir para o desenvolvimento de sua visão cultural, estimulando a que eles empreguem seu senso crítico e sua criatividade em relação aos mais diversos campos da produção artística, de modo livre e consciente.


Atualmente, as instalações da Escola Nacional de Circo ocupam um terreno de sete mil metros quadrados. O espaço possui um moderno galpão multifuncional de treinamentos circenses, salas de aula e de dança, auditório, musculação, fisioterapia, refeitório, oficina para confecção e conserto de aparelhos, além de biblioteca multimídia e salas para a administração. A instituição oferece cursos regulares de formação, qualificação e capacitação de artistas na área.


Curso Técnico em Arte Circense


O Curso Técnico em Arte Circense foi estabelecido pela Funarte em cooperação com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ). A admissão na ENC se dá por concurso público. A seleção tem como base a análise de habilidades circenses, condicionamento físico, desempenho artístico, aptidões acrobáticas e checagem de documentação. Estão aptos a participar do processo seletivo cidadãos com idade igual ou superior a 18 anos completos (considerada a data de inscrição), que tiverem concluído o ensino médio (ou equivalente) até a data da matrícula no curso. Os candidatos podem ser brasileiros, natos ou naturalizados, e estrangeiros. O curso, reconhecido pelo MEC, oferece bolsa de estudos para todos os alunos.


A equipe pedagógica da ENC ministra disciplinas conforme os seguintes grupos de modalidades circenses: acrobacias: acrobacias de solo (saltos), paradas, contorção, mastro chinês, canastilha, cadeiras, maca russa, barras russas, báscula, mini-tramp, trampolim acrobático, dândis, adágio, antipodismo (icários), portagens e mão-a-mão; acrobacias aéreas: trapézio (de voos, simples e duplo, de um ponto fixo e em balanço), quadrante, quadrante coreano, corda (indiana, dupla, marinha e lisa), tecido, tecido marinho, lira e faixa; equilíbrios: antipodismo (tranca), bola, cadeiras, perna-de-pau, escada, percha de ombro, monociclo, rola-rola, arame (baixo e alto), roda cyr, roda alemã e corda bamba; manipulação de objetos: malabares com claves, aros, bolas, diabolô e bola de contato.


Serviço:


Celebração dos 40 anos da Escola Nacional de Circo (ENC)


Dia 13 de maio, sexta-feira, a partir das 14h


- Lançamento do Edital Bolsa Funarte de Pesquisa para Reconhecimento do Circo como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil


- Lançamento de projeto arquitetônico de revitalização do espaço assinado por Marcos Flaksman


- Renovação do acordo de cooperação da ENC com o IFRJ formalizando a continuidade do Curso Técnico em Arte Circense


- Apresentações artísticas com profissionais formados pela instituição



Ficha técnica das apresentações artísticas:


Apresentadora: Cinthia Nunes, a Palhaça Ratinha| Faixa: Thaís Ventorini| Lira: Aline Fortunato| Malabares: Thiago Campello, o Incrível Malabarista | Mão a mão: Ezequiel Freitas e Juan Pizarro | Quadrante: Daniela Casas e Faber Cedeño, o Duo de Cabeza | Rola-rola: Alex'D e Sinead Daniela, o Duo Infinite Balance | Trio malabares: professor Alexis Reis, Anderson Melo e Christiano Prado | Contorção: professor Bruno Carneiro.


Local: Escola Nacional de Circo


Rua Elpídio Boamorte, S/Nº, Praça da Bandeira - Rio de Janeiro (RJ)

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square