Leona Vingativa, Paulo Colucci e Thunderbird apresentam Festival paraense em Belém e São Paulo

Leona Vingativa e Paulo Colucci, personagens paraenses que viraram meme em todo o país, se juntaram ao especialista em música Luiz Thunderbird para invadir uma emissora de TV e bagunçar a programação. Esse é o enredo do Psica Hack Show, festival que reúne nomes da música paraense e a sonoridade brasileira presente em São Paulo, numa ponte que conecta duas capitais que respiram música. O programa será dividido em duas semanas, com três dias de exibição cada, sempre de quinta à sábado, de 15 a 17 e de 22 a 24 de setembro. Metade da programação já foi divulgada, revelando destaques como o rapper BK e o músico, compositor e guitarrista Felipe Cordeiro. O festival digital é um projeto aprovado pela Aldir Blanc São Paulo, via PROAC, e tem produção conjunta da Psica Produções com a Odajó.

Além de BK e Felipe Cordeiro, o grupo Quebrada Queer, a colab RAP PA de Nic Dias + Sumano Mc + Kratos, o encontro entre Samba de Dandara + Trio Gato de Fome e Os Africanos de Icoaraci são os nomes confirmados até então para essa programação. A curadoria pretende firmar uma conexão da cena de música preta e periférica existente nas duas capitais, hackeando o mercado e criando novas possibilidades para esses artistas. “A ideia é justamente hackear o sistema dominado por homens brancos e ocupar espaços com artistas pretes, lgbtqia+, mulheres etc. É diversificar toda uma cadeia produtiva cultural que sempre foi muito branca e elitista, é trazer a periferia para o centro das atenções e mostrar que todes essas pessoas existem”, afirma o diretor do festival, Gerson Dias, da Psica Produções. Os anfitriões do festival, que apresentam essa programação para o público, trazem mistura de referências da cultura de cada cidade. Leona Vingativa e Paulo Colucci, que ficaram famosas fazendo paródias de novelas mexicanas, e posteriormente lançando músicas, dividem espaço com Luiz Thunderbird, músico, ex-VJ da MTV e uma referência quando o assunto é música. Essa conexão promete apresentar para São Paulo o que há de novo em Belém, e para Belém um pouco do clima paulistano de curtir a noite. Leona acredita que o Psica Hack Show é uma oportunidade de levar mais longe a sonoridade paraense. “Eu acredito que a música paraense vai dominar, assim como já tá dominando. São muitos os artistas que vem lutando para que o nosso tecnobrega, a nossa cultura maravilhosa, seja ouvida no Brasil e o mundo”, prospera. O festival, que pretendia ser uma versão paulista do tradicional Psica, é produzido em parceria com a Odajó, produtora cultural de São Paulo. Virou programação online por conta da pandemia e ganhou ares de ação hack a partir da direção do jornalista e documentarista paraense Vladimir Cunha. Com um palco montado em Belém e outro em São Paulo, a internet virou tema de troca de referências que mostram a diversidade da música nacional. “A gente pensou numa edição Psica em São Paulo de basicamente trazer o som amazônico pra cá. A gente vê muitos movimentos, muitas festas, pessoas que tentam trazer essa cultura e a nossa ideia da curadoria é de fato tentar trazer pessoas de Belém, que moram em Belém que fazem a cena lá, misturado junto com isso a gente tentou levar um pouco do resto da cultura do Brasil”, explica produtor Raphael Freitas, CEO da Odajó. Para assistir ao festival o público pode acessar o Youtube da Tv Psica, onde os episódios do programa serão exibidos de quinta à sábado, entre os dias 16 e 25 de setembro, a partir de 19h. FESTIVAL PSICA HACK SHOW 15 e 17 e 22 a 24 de setembro, a partir de 19h Transmissão ao vivo e gratuita pelo http://youtube.com/tvpsica NOMES CONFIRMADOS: BK - Felipe Cordeiro - Quebrada Queer - Nic Dias + Sumano Mc + Kratos Samba de Dandara + Trio Gato de Fome - Os Africanos de Icoaraci

Posts Em Destaque
Posts Recentes