Natura apresenta: 5º Festival Marajoara de Cultura Amazônica


O arquipélago que comumente chamamos de Ilha de Marajó receberá, nos dias 14, 15, 16 e 17 de julho, a quinta edição do Festival Marajoara de Cultura Amazônica. O evento, contando pela primeira vez com o patrocínio da Natura, será realizado em três municípios diferentes: Cachoeira do Arari, Soure e Salvaterra, para celebrar toda a tradição dos mestres e mestras da cultura popular da região.

Com uma extensa programação, o evento percorrerá as três cidades reunindo várias manifestações da cultura popular, como música, dança, cinema, rodas de boi bumbá, arrastões culturais, feiras e oficinas. O objetivo é que ofereça uma verdadeira imersão cultural nesses territórios marajoaras. Além das atrações locais, o festival também promoverá um intercâmbio com atrações residentes em outras regiões, como Nazaré Pereira, Felipe Cordeiro e Dona Onete, que também é marajoara de Cachoeira do Arari.


“A Natura apoia iniciativas diversas que geram impacto positivo na Amazônia há mais de 20 anos. Acreditamos que a cultura é um vetor de desenvolvimento. Entendemos a arte como uma ferramenta fundamental para construir um mundo mais bonito, resgatando identidades e saberes, valorizando a pluralidade e promovendo novos imaginários”, afirma Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding.

O Festival Marajoara tem patrocínio da Natura, por meio da lei estadual de incentivo à cultura do Pará (Semear). Há mais de 20 anos a Natura mantém um compromisso com a Amazônia, desenvolvendo negócios e produtos que promovam a economia da floresta em pé, além de fomentar iniciativas de valorização da cultura, da ciência e do conhecimento que integra pessoas, florestas e cidades de forma sustentável.

Realizado desde 2018, o evento chega em 2022 a sua quinta edição, a terceira presencial, em virtude da pandemia da Covid-19, com adaptação para versões online em 2020 e 2021. A realização do Festival é do Coletivo Pulsar Marajoara, que há mais de 10 anos realiza intervenções artísticas e culturais no Marajó, entre elas luais, arrastões, cortejos, festas e o próprio festival, sempre com ênfase à identidade amazônica, ao carimbó, boi-bumbá e com respeito e valorização dos mestres e mestras locais.

“O Festival Marajoara é mais que um evento, é uma festa! A palavra “festa”, aqui utilizada em toda a potência de seu sentido, que é muito mais do que apenas lugar de divertimento, se constitui como Potência Societal que cria/fortalece comunidades, sociedades, coletividades”, afirma Petrônio Medeiros, um dos coordenadores do Coletivo Pulsar Marajoara.

Programação

O primeiro dia do Festival começa no município de Cachoeira do Arari, com uma visita guiada à casa onde o escritor paraense e um dos maiores romancistas do Brasil, Dalcídio Jurandir, passou parte de sua infância. Logo depois, a programação segue no recém reformado Museu do Marajó, outro patrimônio que tem como objetivo contar a história dos marajoaras, em uma visita guiada seguida do sarau, com o Mestre Piticaia recebendo Nazaré Pereira, Luizinho Lins e o Grupo Acauã.

Ainda na quinta-feira (14), a programação noturna do festival começa no Centro de Tradições Cruzeirinho, já no município de Soure, com apresentação do grupo e posterior cortejo pelas ruas até o palco no Parque de Exposições, onde os grupos Aruãs e Eco Marajoara se apresentam. E para encerrar o dia, um grande encontro de mestres, com apresentação de Dona Onete com as participações do Mestre Damasceno e Mestre Dikinho.

Já na sexta-feira (15), a programação acontece no município de Salvaterra, iniciando na comunidade quilombola do Bairro Alto a partir das 11h, com atrações culturais do próprio território, além de shows com Jeff Moraes e Unidos do Marajó junto com o Mestre Zampa, que também é morador da comunidade.

À noite, é a vez de um luau marajoara na Praia Grande de Salvaterra, com os grupos Encanto Marajoara, Sabor da Ilha e Atrás do Tempo. Depois, quem sobe ao palco é a Banda Na Cuíra, cujo show contará com as participações de Nazaré Pereira, Alan Carvalho, Felipe Cordeiro e Ita Lemi Sinavuru. E para encerrar a noite em grande estilo, a DJ Ananindeusa assume a missão de não deixar ninguém parado, com uma performance carregada de ancestralidade e reverência às sonoridades amazônicas, com um set composto por muita música feminina e negra.

O sábado (16) é dia de arrastão cultural pelas ruas de Soure com o Carimbloco, puxado pelo grupo de carimbó Dragões de Soure, fundado por Mestre Regatão. O cortejo, que começa às 16h, na Praça do Abacaxi, encerra na sede da AMPAC, com aquela conhecida roda de carimbó para ninguém botar defeito. Os shows ficam por conta do Som de Pau Oco e do Mestre Diquinho e os Tambores do Pacoval, os anfitriões da festa.

O encerramento do festival será realizado no domingo (17), com concentração na Praça das Comunicações de Salvaterra, onde o grupo Mayaná se apresentará. Em seguida, a partir das 17h30, haverá o cortejo com o Búfalo Bumbá “Segredo das Meninas”, do Mestre Damasceno, até a Orla da Praia Grande de Salvaterra, onde ocorrerá as apresentações de encerramento do festival com o Grupo Paracauari, Banda Instrumental Estrela do Norte (BIEN) homenageando os mestres Damasceno, Zampa, Piticaia, Tia Amélia e Diquinho, além de shows do Allan Carvalho, Ita Lemi Sinavuru, Felipe Cordeiro convidando Jeff Moraes e Nazaré Pereira, além da discotecagem da DJ Ananindeusa.

Sobre a Natura

Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética. Conta com mais de 2 milhões de consultoras na América Latina, sendo líder no setor de venda direta no Brasil. Faz parte de Natura &Co, resultado da combinação entre as marcas Avon, Natura, The Body Shop e Aesop. A Natura foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação de empresa B no mundo, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. É também a primeira empresa brasileira a conquistar o selo "The Leaping Bunny", concedido pela organização de proteção animal Cruelty Free International, em 2018, que atesta o compromisso da empresa com a não realização de testes em animais de seus produtos ou ingredientes. Com operações na Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França, México, Peru e Malásia, os produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as Consultoras, por meio do e-commerce, app Natura, nas lojas próprias ou nas franquias "Aqui tem Natura". Para mais informações, visite www.natura.com.br ou acesse os perfis da empresa nas redes sociais: LinkedIn, Facebook e Instagram.


Foto: Fernando Sette Camara


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square