top of page

"Num som que me leve" marca estreia de Bárbara Alves no streaming

A flautista e cantora Bárbara Alves estreia nas plataformas digitais com "Num Som que me Leve". O single apresenta duas faixas que destacam não apenas o talento musical da artista, mas também sua profunda conexão com a Vila de Porto Salvo, no município de Vigia (PA). Nascida em Belém e criada na vila de Vigia onde moram seus avós, Bárbara começou na música aos 9 anos, ingressando na Sociedade Musical 25 de Dezembro e, mais tarde, completou seu curso de bacharelado em música no Instituto Estadual Carlos Gomes. No ano passado ela aprovou o projeto "Mamaiacu, Os Cantos de Porto Salvo" no Prêmio de Incentivo à Arte e à Cultura da Fundação Cultural do Pará. O show foi o embrião do single que chega agora ao público.


A música tema do projeto foi composta especialmente para celebrar o reencontro de Bárbara com suas raízes musicais. “Mamaiacu”, que na língua indígena original quer dizer “berçário de baiacus”, era como os primeiros habitantes da hoje Vila de Porto Salvo chamavam o lugar. A expressão da nome também à primeira faixa do single. Em “Mamaiacu (Carimbó da Vigia)”, Bárbara também compôs e tocou o solo de flauta da introdução e que se soma ao arranjo de sopros de Homero Augusto. A música é uma parceria dela com Nicobates e Augusto Hijo. “Este single é a expressão da minha história, um tributo à minha amada Vila de Porto Salvo e uma celebração da música que sempre foi uma parte fundamental da minha vida”, explica. "Flor do Reggae", a segunda faixa do single, é uma regravação da canção de Marcos Campelo. Com ritmo mais acelerado, a ideia é fazer o público dançar e se alegrar. Bárbara Alves explica a inspiração por trás dessa música. "Segundo meu amigo Campelo, ela foi criada durante a pandemia, quando ele olhou pela janela e se inspirou no arrebol para compor uma canção que saúda a natureza, a vida, a música e o amor", compartilha. "Num Som que me Leve" tem produção musical de Nicobates e Otávio Silva e é fruto de mais uma colaboração entre o selo Uka Uka Records e o Coletivo Outros Nativos, dentro do Projeto Incubadora. Parceria possibilitada graças à Pró-Reitoria de Extensão da UFPA, por meio do Núcleo de Inovação e Tecnologias Aplicadas a Ensino e Extensão (Nitae), coordenado pela Prof. Dra. Maria Ataide Malcher. Financiado com emenda parlamentar do então deputado federal Edmilson Rodrigues. SERVIÇO: Single “Num som que me leve” de Bárbara Alves Dia 27/09 em todas as plataformas digitais https://tratore.ffm.to/umsomquemeleve Contato: (91) 98168 7474

Comments


bottom of page