top of page

Orquestra Sinfônica Brasileira homenageiaAmazônia e suas lendas

Uma apresentação emocionante que celebrou a riqueza musical da Amazônia. Sob a

regência do maestro Anderson Alves, a Orquestra Sinfônica Brasileira transportou a

plateia para uma jornada sonora que misturou música clássica e folclore paraense na

noite deste sábado, 9, no palco da Concha Acústica, em Altamira. O II Concerto de Cordas

teve como tema principal a Floresta Amazônica e trouxe repertório cuidadosamente

selecionado para capturar a sua diversidade e beleza, mas também trouxe peças clássicas

como a Pequena Serenata Noturna, uma das obras mais famosas de Mozart, que abriu a

apresentação.



O maestro Waldemar Henrique, figura icônica da música paraense, foi reverenciado com

releituras de suas composições mais emblemáticas, como “Farinhada”, “Juriti”, “Tamba-

Tajá” e “Uirapuru”. O carimbó, ritmo tipicamente paraense, foi representado pelas

canções “No meio do Pitiú”, de Dona Onete, e “Sinhá Pureza”, de Pinduca. O público

aprovou. “É de uma importância gigantesca um evento como esse para nossa cidade,

porque aproxima as pessoas da música clássica, faz o encontro entre o povo e realmente

a cultura, não só a cultura clássica, mas também a própria cultura paraense. A gente viu

que as músicas foram adaptadas à nossa realidade. Então, o público vibrou muito na

noite de hoje e tenho certeza de que foi uma noite muito especial para toda a população

de Altamira que veio prestigiar. Ver uma orquestra como essa, abre a nossa mente para

novas possibilidades, para novos caminhos”, ressalta Fernanda Cabreira, que levou os

pais e o sobrinho para assistir a Orquestra.



Promovido pela Norte Energia, concessionária da Usina Hidrelétrica Belo Monte, pelo

segundo ano consecutivo como um presente à população, o evento contou com a

parceria da Prefeitura Municipal de Altamira. “Além de gerar energia renovável para

milhões de brasileiros, a Norte Energia também tem outro importante papel: é agente

de desenvolvimento da região, atuando em diversas frentes – dentre elas, a valorização

da cultura e das tradições locais. A realização do concerto de hoje materializa esse papel

ao contribuir para a democratização do acesso às artes, enaltecer a riqueza musical

nortista e reforçar a nossa parceria com o município em ações que beneficiam

diretamente à população de Altamira", destaca Camilla Toledo, gerente de Relações

Institucionais da Norte Energia.



Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é considerada um dos conjuntos

sinfônicos mais importantes do país. Em seus 83 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já

realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações,

tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao

ar livre e projetos de formação de plateia.

Pianista e compositor, Anderson Alves é o maestro titular da OSB Jovem e o responsável

pelos arranjos sinfônicos apresentados pela orquestra no Concerto de Cordas. “Eu

gostaria de agradecer o convite, para nós é motivo de grande alegria poder trazer um

pouco de música brasileira e de música internacional aqui pra Altamira. Trouxemos

muitas obras conhecidas do público, que pôde cantar junto, lembrar da sua infância,

obras como “No meio do Pitiú”, que é quase um hino daqui da região. Então, é um

programa muito bonito”, conta o maestro.



O violinista Bogdan Hudzelaits destacou a importância da Orquestra Sinfônica Brasileira

para a cultura do país. “A Orquestra está envolvida em muitos projetos educacionais e

culturais que ajudam em todos os níveis que a gente entende como participação no

ambiente cultural, tanto formação de plateia, como projetos para a juventude e

aproximação com o público geral. Nós buscamos aproximar a música sinfônica da música

popular e é através dessas viagens que a gente leva músicas regionais e do Brasil inteiro,

assim como músicas do exterior para localidades como Altamira, por exemplo”.

Homenagem

Waldemar Henrique da Costa Pereira foi um maestro, pianista, escritor e compositor

brasileiro. Artista símbolo do Pará, suas obras têm principalmente como temas o folclore

amazônico, indígena, nordestino e afro-brasileiro.

A proposta de apresentar os trabalhos do compositor Waldemar Henrique, com arranjos

do maestro Anderson Alves, busca disseminar o trabalho de um compositor nascido em

Belém do Pará, que reconhece nos traços de sua cultura, um elo entre a linguagem

europeia e o gosto popular, divulgando, inclusive as lendas e textos da cultura folclórica

regional, em uma série chamada Lendas Amazônicas, reforçando a linguagem única e

própria do norte do país.

bottom of page