Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz apresenta “Uma noite em Viena”

A primeira apresentação do segundo semestre de 2022 da Orquestra Sinfônica do Theatro da

Paz (OSTP), que acontecerá nesta quinta-feira (04), às 20h, no Theatro da Paz. O concerto

denominado “Uma noite em Viena”, terá como solista o violinista austríaco Dominik Hellsberg,

que se apresenta pela primeira vez no Theatro da Paz. A iniciativa é do Governo do Pará, por

meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Theatro da Paz e Academia Paraense de

Música (APM) em parceria com a Embaixada da Áustria no Brasil.

A Áustria, mais especificamente Viena é considerada um berço da música erudita, daí o título

que recebeu de Capital da Música. Do século XVIII até meados do século XX era a cidade mais

importante para esse tipo de atividade, atraindo inclusive compositores que não eram

austríacos ou vienenses a se fixar na cidade. É o caso do alemão Ludwig Van Beethoven e

Wolfgang Amadeus Mozart, que era austríaco de Salzburgo, uma cidade do interior da Áustria.

Muitos compositores italianos, alemães, franceses e de várias nacionalidades se fixaram em

Viena para exercerem suas atividades. Viena é quase sinônimo de música clássica. Daí a

Genesis desse concerto que é uma grande homenagem à cidade da música. Viena representa

vários estilos, chegando a uma música extremamente moderna como Arnold Schoenberg até a

música dodecafônica. A OSTP vai passar apenas por alguns desses estilos, pois, de acordo com

o Maestro Miguel Campos Neto, a riqueza da música que foi produzida em Viena é tão grande

que não caberia em uma noite só.



Descrição das Peças

A primeira parte do concerto terá Wolfgang Amadeus Mozart, um dos compositores mais

importantes de toda a história. Será a representação da ópera vienense em um período

clássico, do século XVIII. A OSTP vai tocar a abertura da ópera ‘Così Fan Tutte’, mas poderia ser

várias – porque ele produziu muito – e de outros compositores também, pois a oferta era

riquíssima na época.

Em seguida, teremos o ‘Concerto para Violino Nº. 05’, também de Mozart, um dos mais

famosos dele, tocado por um virtuoso violinista austríaco, Dominik Hellsberg. Depois do

intervalo, continuamos com a noite tipicamente vienense e a representação de uma ópera do

século XIV, que será ‘O Poeta e Camponês’, de Franz Von Suppé, uma obra já bem mais leve.

Na sequência, Valsas de Strauss. De acordo com o Maestro Miguel, este é um exemplo de

estilo muito diversificado da música que saía de Viena. “Quando falamos de Viena, podemos

falar tanto de uma ópera de Mozart, como de uma peça de Schoenberg ou um concerto para

piano de Beethoven, a diversificação é muito grande e um dos estilos muito importantes são

as Valsas de Strauss”, e continuou. “Então, nós vamos ter uma representatividade importante

desse estilo que tem grande aceitação do público e vamos tocar valsas bem conhecidas e que

fazem alusão à Áustria e à Viena, ‘Contos do Bosque de Viena’, ‘Sangue Vienense’, nome

sugestivo e ‘Danúbio Azul’, o segundo rio mais longo da Europa e que corta Viena”, finalizou.

O maestro escolheu obras que falam não só a cidade, mas também ao povo vienense. “A

riqueza melódica dessas obras vai encantar o público. Lembrando que Viena era nessa época e

até o século XX, a capital de um grande Império, o Império austro-húngaro, com uma

importância política muito forte e que traía entre outras coisas, a cultura e a música. E agora,

mesmo com esse Império desfeito, a importância de Viena como cidade continua e a marca de

capital da música, eu creio que Viena nunca vai perder”, finalizou.

Dominik Hellsberg

Nascido em Viena, em 1982, teve suas primeiras lições de violino em 1988 com seu pai, Dr.

Clemens Hellsberg. Em 1995 ele mudou para a Musikhochschule Graz/Expositur Oberschützen

para o Prof. Alfred Staar; desde o outono de 2000 aulas com o Spalla Sr. Volkhard Steude e o

Prof. Gerald Schubert na Universidade de Música de Viena. Vencedor do 1º Concurso Ignaz

Joseph Pleyel para Violino em Viena.



A partir de 2002 ele substituiu na orquestra da Vienna State Opera e da Vienna Philharmonic, e

em 2004 ele ocupou um cargo acadêmico na Vienna Radio Symphony Orchestra antes de se

juntar à seção de violino secundário da Vienna State Opera Orchestra em 2006.

Desde 2010, ele é o segundo violinista da Filarmônica Schrammeln e, portanto, o sucessor de

Andreas Großbauer, que ao mesmo tempo substituiu Martin Kubik no primeiro violino.

Dominik Hellsberg toca um violino de Carlo Ferdinando Landolfi, Milão 1746. Com o violinista

Christoph Koncz, fundou o festival Europäische Musiktage Heidelberg, cuja primeira edição

aconteceu em 2020.

Seu primeiro álbum, dedicado aos Prelúdios de Debussy, foi lançado em 2018 pela Hänssler

Classic; ele foi premiado com um “CHOC de Classica” e indicado em três categorias pelo

conceituado prêmio alemão do disco OPUS KLASSIK 2019. Para seu segundo álbum, lançado no

outono de 2021, ela gravou com Hänssler Classic, L’Art de la Fugue, de Bach, em uma nova

versão concluída por Thierry Escaich.

Programa

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)

Abertura Così Fan Tutte

Concerto para Violino Nº. 05

Solista: Dominik Hellsberg

I N T E R V A L O

Franz von Suppé (1819 – 1895)

Abertura Poeta e Camponês

Johann Strauss (1825 – 1899)

Sangue Vienese

Contos do Bosque de Viena

Danúbio Azul

Serviço:

Uma noite em Viena

Data: 04 de agosto, às 20h

Local: Theatro da Paz

Os ingressos estarão disponíveis para retirada no dia do concerto, a partir das 9h, na bilheteria

digital e na bilheteria do Theatro da Paz partir das 18h. Ingressos gratuitos (2 ingressos por

CPF).

Texto: Úrsula Pereira (Ascom Theatro da Paz)

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square