OSTP recebe o pianista Václav Pacl e realiza mais um concerto dedicado a Nelson Freire

A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) homenageia o compositor Johannes Brahms e apresenta nesta terça-feira (14), às 20h, no Theatro da Paz, mais uma edição da série "Concertos dedicados a Nelson Freire", com a participação especial do pianista Václav Pacl. A iniciativa é do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Theatro da Paz e Academia Paraense de Música (APM).

A escolha do programa se deu pela necessidade de diversificar estilos e compositores. Apesar de existir uma variedade muito grande de concertos para piano, existem os compositores que são mais representativos no gênero e, para o maestro titular da OSTP, Miguel Campos Neto, os marcos do repertório pianístico não poderiam faltar nessa série dedicada a Nelson Freire.

"Já tivemos Rachmaninoff, agora é a vez de Brahms, mas ainda teremos Beethoven, Chopin, Mozart, entre outros. A coincidência aqui foi que, em combinação com o solista Václav Pacl, esse é um concerto que ele tinha vontade de tocar também", afirmou.



O alemão Johannes Brahms é um dos compositores mais importantes do romantismo, estilo do século XIX. Ele compôs para orquestra sinfônica, para piano, para voz, para quarteto de cordas, para todo tipo de música de Câmara e música sacra. Então, ele foi um compositor praticamente completo em termos de gênero, porque existe uma lacuna na produção de Brahms, ele não foi um compositor de óperas. Mesmo assim, sua produção em todos os outros gêneros foi e é tão forte que ele se tornou um dos compositores mais importantes de sua época.

O estilo sinfônico "beethoveniano", que o romantismo herdou e do qual Brahms foi um dos principais expoentes, ficará evidente nessa apresentação da Orquestra e isso se dá porque Brahms era um compositor romântico diferente de outros compositores românticos que tinham a visão voltada a fazer a 'nova música'. Brahms era um compositor de vanguarda que viveu sua época e escreveu música como ela era naquela época, só que muito consciente e deferente aos mestres do passado, por isso ele é considerado um compositor romântico neoclássico.

Descrição das peças

De acordo com o maestro, serão duas grandes obras. O Concerto para Piano Nº 2 e a Sinfonia Nº 2. "No concerto para piano o público deve prestar atenção que ele é um concerto, mas que faz uma evocação muito clara ao gênero sinfonia. Isso é óbvio até pelo número de movimentos. Ele é um concerto com esquemas de movimentos muito parecidos a sinfonia, com 4 movimentos - o que não é comum para qualquer compositor e até para Brahms. Então, é um concerto/ sinfonia que até mesmo nós como intérpretes usamos como guia na nossa interpretação", e continuou.

"A sinfonia número 2 é uma sinfonia muito leve, lírica e quase pastoral. Como a 1ª Sinfonia deu muito trabalho para Brahms, que demorou anos para terminá-la, a 2ª Sinfonia é uma inspiração que parece fluir, jorrar da pena de Brahms. Ela é altamente 'beethoveniana' no sentido que ela tem uma característica que Beethoven usava muito em suas obras, que é a repetição em todos os movimentos de uma pequena célula. No caso de Brahms, é uma célula melódica apresentada logo no primeiro compasso do primeiro movimento pelos violoncelos e contrabaixos. Essa célula melódica é reapresentada nos outros movimentos com muita arte, com muita técnica, uma característica comum entre os grandes de compositores", finalizou.



Sobre o maestro

Entre os compromissos mais importantes da temporada de 2020-2021 para Miguel Campos Neto, pode-se destacar sua estreia como regente de ópera em palcos internacionais com Cavalleria Rusticana e Pagliacci na "Opera Grand Avignon" (França) com aclamação de público e crítica. Já o ano de 2019 foi marcado por seu retorno ao Curso Internacional de Verão de Brasília como professor de regência e maestro da orquestra sinfônica de encerramento, o retorno à Universidade La Sierra (Califórnia) como professor visitante de prática de orquestra e a estreia como regente de ópera em São Paulo (O Peru de Natal de Leonardo Martinelli-Theatro São Pedro).

Com diploma em regência pela Mannes School of Music de Nova York, Campos Neto iniciou em 2021 a sua décima primeira temporada como regente titular da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (Belém). Também atua como regente titular da Orquestra Sinfônica Altino Pimenta (Universidade Federal do Pará) e da Orquestra Sinfônica Wilson Fonseca (Santarém) além de ter sido por 12 anos regente titular da orquestra Jovem Vale Música. Campos Neto foi recentemente nomeado "Regente Laureado" da Chelsea Symphony, uma orquestra baseada em Nova York da qual ele foi co-fundador e regente principal pelas 5 primeiras temporadas. Com atuações nos dois festivais de ópera mais importantes do Brasil (Manaus e Belém), ele já acumula um notável repertório operístico, e contabiliza 6 lançamentos em DVD de óperas totalmente encenadas e concertos líricos.

Como convidado ele já regeu orquestras nacionais e internacionais, como a Orquestra National de Avignon (França), Orquestra Sinfônica de Puerto Rico, Orquestra Sinfônica de Mulhouse (França) Savaria Symphony (Hungria), Dana Point Symphony (EUA), Orquestra Ciudad de Alcalá (Espanha) e Os Solistas de Câmara da Universidade de Missouri (EUA), bem como as orquestras de Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Amazonas, do Theatro São Pedro (SP), do Teatro Nacional (Brasília), de Minas Gerais, Heliópolis (SP), Experimental de Repertório (SP), Municipal de Campinas e Sinfônica da UNICAMP.

Sobre Václav Pacl

O pianista Václav Pacl estudou no Conservatório de Ostrava, na República Tcheca, de onde é originário, e na Universidade de Música e Arte de Graz, na Áustria, sob a tutela do renomado professor Walter Groppenberger. Fez master classes com Elena Gilels (filha de Emil Gilels), Avo Kouyoumdjian (Universidade de Música e Arte de Viena na Áustria), Pierre Jasmin (Universidade de Montreal, Canadá), Andrea Lucchesini (Accademia della Musica, Pinerolo, Itália), Leonel Morales (Conservatório de Música de Castellón, Espanha), Bryce Morrison (Royal Academy of Music, Londres), Paul Badura Skoda (Universidade de Música e Arte de Viena) e Jesper Christensen (Schola Cantorum Basiliensis, Basileia, Suíça), entre outros.

Entre os reconhecimentos que obteve ao longo de sua carreira profissional, destacam-se o 3º prêmio no Concurso Internacional de Piano, Compositores de Espanha", em Las Rozas (Madrid) e 3º prêmio em Marsala (Sicília), em Castiglion Fiorentino na Itália, e outros como Yamaha em Viena.

Sua carreira artística como solista e acompanhador inclui diferentes palcos e festivais europeus na República Checa, Áustria, Suíça, Grã-Bretanha, Espanha e Colômbia onde participou em eventos como a VIII Temporada de Piano em Manizales em 2008, Tour do Banco de la República 2010-2011 (Biblioteca Luis Ángel Arango em Bogotá, Pereira, Manizales, Popayán, Pasto e Santa Marta), Festival de Música Religiosa em Popayán em 2010 e Oscar Buenaventura em Ibagué em 2010 e 2015. Em 2016 apresentou-se no XI Festival de Música Antiga Esteban Salas em Havana (Cuba) com o Dolmetsch Ensemble tocando cravo. Em 2021 foi convidado pela Embaixada da República Tcheca em São Paulo para uma turnê de concertos com música tcheca no Brasil (Belo Horizonte, Porto Alegre, São Paulo e Belém).

No âmbito da sua atividade de piano, realizou também várias master classes e workshops em Conservatórios como Vigo em Espanha, Belas Artes e na Universidade Adventista de Medellín ou na Universidade de Ostrava na República Tcheca. Foi professor no Departamento de Música da Faculdade de Letras da Universidade de Cauca em Popayán e atualmente está vinculado como professor de piano às Belas Artes de Cali e participa frequentemente como solista e acompanhante em concertos com a Filarmônica de Cali e em os concertos do mês em Barranquilla.

Sobre Nelson Freire

De acordo com Maestro Miguel Campos, Nelson Freire foi um dos maiores músicos brasileiros de todos os tempos. Ele foi um dos poucos músicos brasileiros que atingiu uma notoriedade mundial, a ponto de quando se faz um apanhado dos maiores pianistas do mundo do século XX, ele figurar entre algumas listas. O seu falecimento recente põe fim a um uma carreira, a uma atuação musical e silencia quem muito já fez pela divulgação e pela valorização da música erudita no Brasil. "Uma pessoa atuando a nível mundial com excelência, sendo homenageado no mundo inteiro, acaba chamando a atenção para aquilo que ele pratica. Então, o nível no qual Nelson Freire atuava mundialmente era salutar não só para ele, mas para a música pianística brasileira e para a música brasileira erudita. Essa foi a grandeza de Nelson Freire e por isso ele é totalmente merecedor dessa dedicatória que fazemos", afirmou o maestro.


Programa

Johannes Brahms (1833 - 1897)

Concerto para Piano Nº 2 em Si bemol Maior, Op. 83

I. Allegro non troppo

II. Allegro appassionato

III. Andante

IV. Allegretto grazioso

Solista: Václav Pacl

Intervalo

Johannes Brahms (1833 - 1897)

Sinfonia Nº 2 em Ré Maior, Op. 73

I. Allegro non troppo

II. Adagio non troppo

III. Allegretto grazioso (Quasi Andantino)

IV. Allegro con spirito


Serviço:

Série Concertos dedicados a Nelson Freire

Data: 14 de junho, às 20h

Local: Theatro da Paz

Os ingressos estarão disponíveis para retirada no dia do concerto, a partir das 9h, na bilheteria digital e na bilheteria do Theatro da Paz, partir das 18h. Ingressos gratuitos (2 ingressos por CPF).

Texto: Úrsula Pereira/Ascom Theatro da Paz

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square