Pelé do Manifesto lança filme no maior festival de documentário musical do Brasil


Dando continuidade ao projeto do álbum “Gueto Flow, Preto Show” (Natura Musical), o rapper Pelé do Manifesto, um dos destaques da cena paraense da última década, apresenta o filme “Gueto Flow – Pelé do Manifesto” em sessão especial no Festival In-edit Brasil, que começou hoje, 16, e segue até 26 de junho. O teaser já está no canal do YouTube do artista (https://bit.ly/peleyoutube).


Lançado em 2020, o disco previa um show de lançamento que precisou ser cancelado por conta do coronavírus. O filme, que tem direção de Adrianna Oliveira (do documentário “Batalha de São Braz”), mergulha no trabalho de Pelé e traz à tona todo o repertório construído ao longo dos 12 anos da carreira do rapper paraense de 28 anos.


“Esse trabalho é um pouco do que minha vida é, do modo como vejo o mundo ao meu redor, fala um pouco sobre mim, fala um pouco sobre o meu bairro, fala um pouco da realidade que nos cerca em Belém. Ver esse trabalho na tela, vai me emocionar muito, ver onde chegou aquele moleque da Cremação, que rimava nas praças, que rimava nas ruas”, conta Pelé.



O lançamento do álbum seria um show presencial no Mercado de São Brás. Com a pandemia, os planos mudaram: o show virou um vídeo. A diretora do projeto, Adrianna Oliveira, explica que, a partir da quebra de expectativa do show, eles foram construindo a narrativa tentando resgatar o máximo de elementos que fizessem parte daquele cenário de rua que imaginavam, mas que não pôde acontecer por conta da covid-19. “A gente ambientou o filme com características da urbanidade de Belém, convidando artistas do grafite, como PTCK, Santo e TSSS REX, para compor o espaço de cena com obras originais feitas para a gravação, e artistas da música, dança e/ou poesia, como Nic Dias, Anastacia Marshelly, Moraes MV e Yara MC, que ficaram livres para performar sua arte nesse cenário híbrido composto de vários palcos”, explica a diretora.


O projeto que começou com a ideia inicial de ser o registro de um show acabou virando um filme, que mistura música/show e documentário, e traz as 10 faixas presentes no álbum homônimo, além de relatos poéticos sobre os aspectos que cercaram o desenvolvimento da carreira do rapper.



“Eu nunca imaginei que meu trabalho com rap poderia virar um filme. Eu queria falar um pouco da minha história, do meu bairro, falar um pouco de negritude. Quando o disco já estava pronto, a gente foi percebendo que dava pra virar um doc, um filme. Percebemos que dava pra ser um pouco de tudo, era muito completo e tinha muita história pra se contar”, revela Pelé.




In-edit Brasil - O artista diz que ficou surpreso com a seleção para sessão especial da 14ª edição do In-Edit Brasil - Festival Internacional do Documentário Musical, que será realizada de 15 a 26 de junho, de forma híbrida: presencial, na cidade de São Paulo, e online, na plataforma do festival e em plataformas parceiras, para todo Brasil, com um total de 67 títulos, nacionais e internacionais, inéditos no circuito comercial.

“Foi uma felicidade enorme quando soube da seleção no festival. Pra mim, é fundamental ter e ser essa representatividade também pra galera do hip hop, da periferia”, comemora.


Para a diretora, participar de um festival é uma ótima maneira de se lançar um filme. “Se tratando de audiovisual de música, o In-Edit é uma das melhores opções que se tem no Brasil. Na época da ‘Batalha de São Bráz’, foi incrível ter participado e queria muito que isso acontecesse com o filme do Pelé também, acho que isso manda a mensagem de que, além de tudo, a arte em Belém segue viva e se movimentando, tentando sempre sobreviver ao caos de um país que só investe em cultura sertaneja”, critica a documentarista, que trabalha bastante com audiovisual para música e trabalhou com rap diretamente duas vezes: com o documentário premiado "Batalha de São Bráz”, em 2016, e agora, no “Gueto Flow, Preto Show”, em 2022. Nos dois, Pelé está presente.


“No filme da batalha, o Pelé rimou um pouco, falou sobre suas vivências e colaborou na construção de uma ideia sobre o movimento junto à história de várias outras pessoas. No filme desse ano, o formato se aproxima mais da performance, são praticamente 50 minutos de poesia cantada e falada quase que ininterruptamente. Então, é muita ideia sendo dita e sentida por meio da música e de uma construção mais subjetiva e gestual. Ver o Pelé interpretar as músicas é incrível e fiquei muito feliz de ter sido chamada para ter essa troca com ele, um artista que dá muito gosto de filmar, que é criativo nos seus movimentos, no jeito de cantar… sobretudo um grande poeta”, elogiou a diretora.


“O futuro que queremos construir é coletivo. Ele passa por momentos de tensão, mas, com a música, somos capazes de chegar a um lugar comum, respeitando a diversidade. Os artistas, bandas e projetos de fomento à cena selecionados por Natura Musical trazem a mensagem de que o futuro pode ser mais bonito com a música e com envolvimento de cada um de nós”, afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura.



O filme tem ainda exibição programada para o dia 06 de julho em sessão especial pelo aniversário do Cine Líbero Luxardo, cinema do Centur, em Belém, seguida com roda de conversa.


GUETO FLOW, PRETO SHOW - Em mais de 12 anos de carreira no rap, Pelé do Manifesto conquistou seu espaço no gênero com letras e versos honestos, que denunciam a realidade do negro da periferia de Belém. Desta vez, ele chega com um novo álbum onde alia ao rap, toda identidade da black music brasileira: “Gueto Flow, Preto Show” (Natura Musical). O álbum chegou às plataformas digitais de música em março de 2020.


Com 10 músicas no total, o novo trabalho conta com nove composições inéditas e uma regravação, a música “Sou Neguinho”. Trata-se de uma das canções mais emblemáticas da carreira de Pelé, e ganha aqui novos arranjos que a incluem no universo criado para “Gueto Flow, Preto Show”.


Este é o primeiro trabalho de Pelé desenvolvido com patrocínio, já que ele foi aprovado no edital Natura Musical em 2019, por meio da Lei Semear. Ele conta que o objetivo era desenvolver um trabalho que mostrasse suas referências, e como elas resultaram na criação de sua identidade musical. Em “Gueto Flow, Preto Show”, a essência da black music salta a musicalidade, e reflete também em toda a estética criada para o novo trabalho.


Sobre o artista - Pelé do Manifesto é um rapper paraense do bairro da Cremação, de Belém. Ele defende o gênero há 12 anos e é uma das crias da Batalha de São Brás, movimento de MC’s que foi tema de uma documentário dirigido por Adrianna Oliveira. Ele despontou no cenário do gênero com a música “Sou Neguinho”, onde fala da realidade enfrentada pela população negra e periférica do país diariamente.


Sobre Natura Musical - Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu cerca de R$ 143 milhões no patrocínio de 460 projetos - entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais, documentários e projetos de fomento à cena. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do País e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais. Em 2020, o edital do programa selecionou 41 projetos em todo o Brasil. A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente da música brasileira, com cerca de 120 shows ao longo de 2019.



Serviço

| O quê: Lançamento do filme “Gueto Flow – Pelé do Manifesto”

| Onde: Festival In-edit Brasil - Festival Internacional do Documentário Musical

| Quando: De 16 a 26 de junho de 2022

| Mais em: @peledomanifesto


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square