top of page

Rap e Carimbó na Mostra dos 25 anos do Musicaparaense.Org

A Mostra Musicaparaense.Org, segue a celebração dos 25 anos do projeto homônimo, nesta sexta-feira, 8, às 20h, no Espaço Na Figueredo, com apresentação de dois artistas do Rap Paraense. Já no sábado, 9, a partir das 21h, a programação se desloca para o espaço Cultural Apoena, na Duque, o ritmo será ditado pelo carimbó. Nas duas noites, a discotecagem é de Seu Edvaldo. Tudo. A partir das 21h, com entrada gratuita.

O projeto Mostra Musicaparaense.Org foi contemplado no Edital Prêmio FCP de incentivo à arte e à cultura em 2023. A realização é da Fundação Cultural do Estado do Pará – FCP e Governo do Pará e produção da MúsicaParaense.Org e Realizador Cultural.


A sexta-feira, 8, é noite do RAP. No Espaço Na Figueredo, quem abre a programação é Bruna BG, artista natural do município de Breves, no Marajó, e que já está na cena de Belém, desde 2007. Autodidata, já transitou por diversos estilos musicais, até se encontrar no Rap. “De todas as escolas que já passei, o rap trouxe a minha verdade”, costuma dizer em suas entrevistas.

Em seguida, teremos Bruno BO, um dos nomes pioneiros. Nascido em Belém, o MC iniciou a carreira musical, em 1994, na banda Carmina Burana, de Hard Core e Rap. Em carreira solo, desde 2002, o artista faz fusões de estilos como Rock, Rap e Ragga. Bruno tem formação em Ciências Sociais e traz como influências resultados de anos de pesquisa sobre a cultura Hip Hop, em especial o Rap.

O carimbó urbano da Sativos do Mangue

No sábado, 9, a sonoridade é do carimbó, com o Sativos do Mangue, no Apoena, da Duque. Esperem pra ninguém ficar sentado. O grupo é um conjunto de carimbó urbano que atua nas praças, ruas, feiras e coletivos da cidade de Belém. Trazem consigo vivências e aprendizados com mestres e mestras da capital como Lourival Igarapé, Cuité Marambaia, Neia Smith, Luiz Gonzaga, Thomaz Cruz e outros.


As letras são voltadas para o cenário da capital, sociedade, religiosidade, a vida cabocla e a mistura rítmica que compõe o carimbó e a textura sonora da cidade. O grupo atua desde 2018 tendo tido algumas formações e sendo também laboratório para vários tocadores da cena.

Atualmente com 4 integrantes (Cinara Maria, Daniel Cordeiro, Raira Maciel e Uirandê Gomes) o conjunto já se apresentou em festivais, casas de show, e eventos da cidade, mas tem como palco principal os movimentos da praça da república, ver o peso e feira do açaí, sendo parte importante do atual cenário de carimbó urbano e compondo a nova geração do pau e corda, vivendo no dia a dia a cultura de repasse e salvaguarda.

Sobre o Musicaparaense.Org

Fundado em 1998 por Edvaldo Souza, o projeto propõe o mapeamento de artistas e a ampliação das ações de pesquisas da musicografia paraense já feita pelo blog Música Paraense, garantindo divulgação de trabalhos dos mais variados estilos, com qualidade de informação e de difusão, gerando oportunidades de contatos ao redor do mundo, preservando a história dos que fizeram e fazem a história da música no Pará.

Edvaldo Souza (AzuL) é produtor cultural, atualmente a frente da Realizador Cultural @realizadorcultural, pela qual idealiza e faz a produção executiva de diversos projetos de artistas da música paraense dentro de leis de incentivos culturais nacional, estadual, municipal e emenda parlamentares. Discente de Museologia (UFPA).

Serviço

Mostra Músicaparaense.Org . Sexta-feira, 8, a partir das 20h, no Na Figueredo e no sábado,9/12, no Apoena, da Duque. Projeto contemplado no Edital Prêmio FCP de incentivo à arte e à cultura 2023. A realização é da Fundação Cultural do Estado do Pará – FCP e Governo do Pará e produção da Musicaparaense.Org e Realizador Cultural.

bottom of page