Secretaria de Estado de Cultura promove Preamar do Patrimônio nos museus

De 1 a 5 de novembro, a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) promove o Preamar do Patrimônio, em edição da Semana do Patrimônio, com atividades que abordarão o valor público e a importância da preservação dos patrimônios históricos do Pará. A programação acontece nos museus do Estado e será aberta para todos, com entrada gratuita e lotação por ordem de chegada.

A abertura solene da Preamar do Patrimônio será às 9h, de quinta-feira (3), no Centro Cultural Palacete Faciola, com a presença do secretário de Cultura, Bruno Chagas; a diretora do Departamento Histórico, Artístico e Cultural (Dphac), Karina Moriya; o diretor de Patrimônio, Helder Moreira; e a superintendente Rebeca Ribeiro, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/PA).

O objetivo da pasta é envolver o público paraense com a história local através de ações que evidenciam as memórias remanescentes do tempo passado, observadas na preservação material dos patrimônios da região.



Programação


1 a 3 de novembro

Na primeira terça-feira (1) do mês, às 10h, o Museu de Imagem e do Som (MIS) realiza a projeção comentada "Carimbó e o audiovisual no Pará" e será exibido os documentários "Vamos dançar Carimbó?", de Afonso Gallindo, e "Homenagem ao mestre Lucindo", da TV Cultura. A apresentação será feita pela diretora do museu, Tainah Jorge, e comentários do pesquisador Edgar Chagas, responsável pelo Dossiê do Registro do Carimbó como patrimônio imaterial. Todas as ações acontecerão no auditório Eneida de Moraes.

Dando continuidade às atividades, a exposição "Carimbó, origens e diversidade" inicia na quinta-feira (3), das 9h às 17h, na Capela do Museu do Estado do Pará, com um acervo contemporâneo de instrumentos, obras visuais e plotagens do Carimbó, baseado no Dossiê do Iphan. A mostra estará disponível até 4 de dezembro.

Já no período de 3 a 4 de novembro, a sala de ateliê arte educação, da Casa das Onze Janelas, organiza uma experimentação artística-estética intitulada "Contando história: resistência e subjetividade", com a leitura e a análise crítica das obras do Arte Pará que retratam o negro e o indígena, considerando as técnicas de desenho, pinturas e colagem dos artistas. A dinâmica está programada para o turno da manhã (9h30 às 11h30) e à tarde (14h às 16h). Após as datas, a atividade volta a ser realizada nos dias 10, 11, 17, 18, 24 e 25 de novembro, no mesmo horário.

Ainda pela manhã da quinta-feira (3), das 10h às 11h, o Dphac promove a mesa de conversa sobre "O Cemitério Soledade e a sua requalificação como parque", no auditório Eneida de Moraes, lotado no Palacete Faciola. O auditório receberá até 90 pessoas, onde será apresentado o projeto e o trabalho executado para o restauro do cemitério. Participarão da mesa o historiador Paulo do Canto, da Universidade Federal do Pará (UFPA) e responsável pelo trabalho arqueológico das obras; a arquiteta e urbanista Rose Norat, da UFPA, que desenvolve o trabalho de restauração dos mausoléus; e o arquiteto e diretor de Projetos da Secult, Nelson Carvalho. A mediação será feita por Sabrina Campos, técnica do Dphac.

No período da tarde, das 15h às 16h, o Dphac realiza, no auditório Eneida de Moraes, o bate-papo "O reconhecimento oficial e extra-oficial do patrimônio cultural dos municípios paraenses", com profissionais da cultura municipal do Pará, que repassarão o conhecimento adquirido durante a trajetória no ramo cultural, sendo estes: Warllen Souza, responsável pelo Museu Histórico de Cametá; Eliane Malfaia, representante da Secretaria Municipal de Cultura de Barcarena, e a presença virtual do coordenador da Festividade do Glorioso São Benedito, em Bragança. A mediação será feita pela diretora Karina Moriya (Dphac) e a atividade é limitada para 90 pessoas.

Nesta data também será comemorado o Dia Estadual do Carimbó na Estação Cultural de Icoaraci, a partir das 16h, com um circuito de atividades que envolvem o ritmo paraense, como rodas de conversa entre mestres e mestras, o workshop de "Vivências do Carimbó", além da exposição "Zimba é a festa do Carimbó" e um show com os mestres convidados.


4 de novembro

A partir das 9h até às 12h da sexta-feira (4), o Dphac recebe, no Palacete Faciola, a visita dos alunos do 8⁰ e 9⁰ ano da escola municipal Honorato Figueiras, no bairro do Jurunas. Os alunos terão a oportunidade de conhecer o período da Belle Époque em Belém, sobre o trabalho exercido para a salvaguarda do patrimônio e participarem de ações lúdicas sobre educação patrimonial, com a mediação da técnica do Dphac, Ângela Leão.

Além disso, farão uma visita guiada pelo Centro Cultural Palacete Faciola, observando a história da cidade através dos artefatos do centro cultural - sendo um deles a maquete do centro histórico de Belém e a câmara escura, ferramenta de uma pequena câmara com função de monóculo, na qual pode ser visto os prédios históricos da cidade, como o Theatro da Paz, Mercado de Ferro, Palacete Bolonha, entre outros.

Para finalizar a visita escolar, os estudantes participarão de um bate-papo, com premiação de livros, brincadeiras de caça-palavras e uma atividade de simulação de prospecção de pequeno restaurador.

Ainda no mesmo dia, das 15h às 16h, o Dphac promove a mesa "A educação patrimonial e o turismo como ferramentas para divulgação e preservação do nosso patrimônio", com a presença dos museólogos Bernardino Santos e Larisse Farias Rosa, juntos da professora de Geografia da UFPA, Goretti Tavares, e mediação por Natasha Bragança, representante da Secretaria de Estado de Turismo (Setur). A mesa de conversa espera receber até 90 pessoas no auditório para informar sobre as tarefas designadas nos setores da cultura e turismo que estimulam a preservação dos patrimônios locais. A partir das 16h, os presentes no auditório poderão fazer uma visita guiada pelos museus do Estado.

No fim da tarde, às 17h, o Departamento de Patrimônio celebra o lançamento do livro "Patrimônio Cultural & Educação Patrimonial", com foco educacional e nas respectivas missões à sociedade, com limite de entrada para 60 pessoas, no Palacete Faciola. A obra é de autoria de Ângela Sanchez Leão, Larisse de Fátima Farias Rosa e Luis Paulo dos Santos Castro. Desenvolvido em 2016, o livro busca difundir a pesquisa dos autores sobre a relação identitária e plural no processo de reconhecimento dos bens culturais e da preservação do patrimônio paraense e amazônico.

Iniciando a noite, às 18h, o projeto "Música nos Museus" será desempenhado na calçada lateral do Museu do Estado do Pará (MEP), com a performance do grupo "Carimbó Maruré", que vai animar o público com os arranjos autorais e tradicionais da música regional.


5 de novembro

No sábado (5), das 9h às 12h, o Dphac oferece o "Percurso comentado: Um quarteirão de memórias", que levará os participantes a um passeio pelos patrimônios existentes no quarteirão que compreende a tv. Dr.Moraes; av. José Malcher; av. Assis de Vasconcelos; av. Presidente Vargas e av. Nazaré. A visitação irá partir do Palacete Faciola e seguirá pelos bens tombados de interesse à preservação, como: Palacete Bolonha, Praça da República, Theatro da Paz, Praça da Sereia, o Instituto de Educação do Estado do Pará (IEEP) e a Casa da Linguagem. A ação será comandada por Dayseane Ferraz, técnica do SIMM (Sistema Integrado de Museus e Memoriais).

Ainda pela manhã, das 9h às 12h, haverá a oficina de pintura em cavalete com alunos da E.E.E.F.M. José Veríssimo, no laboratório do Jardim do Forte do Castelo. Cerca de 20 alunos vão participar da atividade artística.

À tarde, das 15h até 16h, uma conversa sobre "O centenário da Semana da Arte Moderna e a sua influência no Modernismo na Amazônia" será apresentada pelo Departamento de Patrimônio, no auditório da casa 2, com profissionais de diversas vertentes artísticas. Farão parte do momento a representante do Laboratório de Historiografia da Arquitetura e Cultura Arquitetônica (LAHCA/UFPA), Izabella Melo; a mestre em Artes e coordenadora do Amazônia Fashion Week, Felicia Maia; o historiador Aldrin Figueiredo, da UFPA, mediado por Renato Gimenez, técnico do Dphac.

Encerrando o Preamar do Patrimônio, das 16h às 20h da noite, o Centro Cultural Palacete Faciola oferece a feira criativa "Tardezinha Patrimonial", na área externa do espaço (estacionamento). Na ocasião, serão comercializados vinis, antiguidades, flores, comidas regionais e produtos que remetem ao patrimônio cultural paraense. Os visitantes ainda poderão apreciar a apresentação musical do mestre Curica da Guitarrada.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square